quarta-feira, novembro 21, 2007

O circo desceu à cidade

Depois de Hugo Chávez, seguem-se Khadafi com a sua tenda GT e pelotão de guarda-costas femininas, e Robert Mugabe. Estamos transformados no Circo Cardinali da diplomacia internacional, com homens das forças fala-baratos, palhaços ricos decadentes e gorilas velhos.

7 Comentários:

Anonymous lachmann said...

Falta,ainda, Amadinedjad e os seus rabis negacionistas amestrados; o cocalero Morales e as suas cucarachas aymaras gay; o Kim Il Sung e o seu kit de supositório atómico "portabile"; e o próprio Sócrates e o seu "curso superior no minuto". A Presidência portuguesa, volvido o momento orgástico do Tratado de Lisboa, capricha numa "grand finale" dos paraolímpicos da política mundial.

1:36 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ó lachmann, o Pervez Musharraf não conta?
ahahahahahahahahaah

12:45 da tarde  
Blogger Leocardo said...

A vinda do Kim Il Sung a Portugal inseria-se no contexto do sobrenatural, uma vez que o senhor morreu há 13 anos. Se calhar queria dizer o filho dele, o Kim Jong-Il.

Já agora gostava de acrescentar que é mau que Portugal receba ditadores e facínoras como os três mencionados no post.

Cumprimentos

3:20 da tarde  
Anonymous my said...

desde que não venha o George W. Bush, tudo bem!

3:42 da tarde  
Anonymous lachmann said...

1. Caro Leocardo, tem absoluta razão. É o meu Alzeimer antecipado. Só que a hereditaeriedade monarquica nos regimes comunistas jurássicos faz-me esbater as diferenças menores no ramo sucessório.

2. Quanto ao Perez Musharaf, meu caro anónimo, cautela. Tal como Zia-Ul-Hak foi o nosso "King Pin" em Islamabad ( e a ele se deveu a derrota russa no Afeganistão, que ajudou a desmoronar a antiga URSS) Musharaff evita hoje que a NATO no sul do território afegão sofra um revês humilhante. O Paquistão, convém lembrar, é hoje um Estado islâmico nuclear. Antes Musharaff do que uma Senhora Butto ou um Nawaz Shariff "hors de control", sujeitos a um estado de golpe permanente ou à chantagem dos mulanas da Província do Noroeste. O General Musharaf é, transitoriamente, uma salvaguarda mínima contra o caos na região. E quanto à implantação de uma democracia de Westminster no Paquistão, não se iluda: esse país nunca teve, ou eleições inteiramente livres, ou eleições livres não inteiramente desinfestadas de fraude.

2:02 da manhã  
Anonymous Alternativa Mundial said...

Viva o presidente Amadinejad, que faz face ao imperialismo bushista e ao poderio judaico que o controla! Viva o Irão independente e nuclear! Viva a Palestina livre! Abaixo a mafia americano-sionista!

6:12 da tarde  
Anonymous jamba-jomba said...

O gorila Mugabe quer um carro blindado e tudo. E se lhe derem um poleiro na Aldeia dos Macacos e uma bicicleta daquelas de circo, não é mais apropriado?

2:23 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home