sexta-feira, fevereiro 22, 2008

O mal-estar

Aquela importantíssima e influentíssima organização chamada SEDES, que toda a gente achava que já tinha acabado há bastante tempo mas afinal parece que ainda mexe, divulgou uma "tomada de posição" na qual se lê que "se sente hoje na sociedade portuguesa um mal-estar difuso, que alastra e mina a confiança essencial à coesão nacional". "Hoje"? "Difuso"? "Coesão nacional"? Mas em que Portugal é que esta gente tem vivido nos últimos anos?

7 Comentários:

Anonymous bernardo said...

O documento da Sedes tem alguns aspectos interessantes, mas claro que não toca em pontos fundamentais como o excesso de imigrantes e a delinquência ligada à imigração, ou a lei da nacionalidade. E continua a dizer que a solução tem que passar pelos partidos. Ou seja, cura-se o cancro com a causa do cancro!

12:23 da manhã  
Blogger pvnam said...

«... não toca em pontos fundamentais como o excesso de imigrante...»

ahahahahahahahahahahah

---» Olha mais um discurso de BANDALHO para a colecção...

---» Os nacionalistas europeus sabem, muito bem, que não-nativos-europeus (JÁ COM nacionalidades europeias: Obikwelus e afins...) estão com uma evolução demográfica imparável... consequentemente, quando os nativos europeus forem uma minoria no seu 'berço histórico', irão suceder novas kosovarizações...
---» Eu não apoio os nacionalistas europeus... porque... eu não gosto de pactuar com BANDALHEIRA.


Os bandalhos só têm aquilo que merecem: O CAIXOTE DO LIXO DA HISTÓRIA

9:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

PVNAM, estás a tornar-te cansativo, pá! Guarda lá a cassete!

2:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Nã..... Acho que não digo nada.

10:42 da tarde  
Blogger Vítor Ramalho said...

Eles vivem no Portugal difuso que as suas politicas difusas ajudaram a criar.

1:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Essa Sedes sempre esteve inchada de maçons.

2:09 da manhã  
Blogger pvnam said...

«PVNAM, estás a tornar-te cansativo, pá! Guarda lá a cassete!»

---» Os bandalhos repetem a cassete do excesso de imigração... consequentemente... eu sou obrigado a repetir aquilo que é óbvio: o fim da imigração não vai impedir o surgimento de novas kosovarizações na Europa!...

9:48 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home