sábado, abril 19, 2008

Histórias da Joaninha

Aquela betinha da esquerda radical-chic chamada Joana Amaral Dias, vulgo "a Barbie do Bloco", opinou num desses pasquins gratuitos que sujam cada vez mais as ruas de Lisboa, que "há mais de duas décadas só existe violência política com origem na extrema-direita". Dado que me lembro perfeitamente de existirem as FP-25 de Abril, só posso concluir estarmos perante uma nova variante das Histórias da Carochinha: as Histórias da Joaninha. Com a diferença de que as primeiras são para as crianças, e estas são para os pobres de espírito.

4 Comentários:

Anonymous Anónimo said...

Gostei de ver a criaturazinha ser remetida à sua beta-insignificância num dos últimos prós e prós sobre a disciplina nas escolas. Quando uma SENHORA professora ao fazer a sua própria apresentação, depois de ter escutado a apresentação da barbie, gozou com a curricolagem da dita berloquista. Foi hilariante!
As vezes ainda vale a pena perder um tempinho a ver aqueles programas de humor!

Optio

5:21 da tarde  
Blogger Demokrata said...

A queque/revolucionária da Amaral dias está em todo o lado e a toda a hora a debitar a cartilha. Cada vez a Amaral Dias é a psicóloga oficial do regime.

8:17 da tarde  
Blogger J.Gonçalves said...

Típico, de verbosidade inútil,só entendível, pelos pobres de espírito e afins!

12:58 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Típica queque esquerdista portuguesa. Típica berloque, cheia de filhos e filhas-família "revolucionários".

9:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home