domingo, julho 20, 2008

Para onde vai o nosso dinheirinho

Tendo a conta a forma acelerada como o Estado português, actualmente representado pelo governo de José Sócrates, está a esmifrar o contribuinte, o Jantar das Quartas inaugura hoje uma nova rubrica de utilidade pública, baptizada Para Onde Vai o Nosso Dinheirinho. Eis a primeira informação: o governo acaba de perdoar uma dívida de 22 milhões de euros a São Tomé e Príncipe.

3 Comentários:

Blogger Jacinto said...

E os financiamentos de ONGs e "colectividades" afins?
Lembremo-nos da GAIA...

12:11 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Em vez de lhes subirem os juros, toca a perdoar-lhes as dívidas, e o zé pagante que aguente. Canalhas!

4:25 da tarde  
Anonymous LUSITANO said...

Caro
Eurico de Barros,

desconfio que iniciou uma rubrica que vai ficar às moscas, pois para além no comentador Jacinto e de mim próprio, não vai ter lá grande freguesia.
Mas acha que os portugueses estãoporventura preocupados que Sócrates tenha perdoado a S. Tomé 22 milhões de Euros, lhes tenha ainda aberto uma linha de crédito de 50 milhões, bem como perdoou recentemente a Moçambique, cerca de 260 milhões e tenha igualmente aberto também uma linha de crédito de 100 milhões e euros???
Não meus caros amigos, o pessoal anda mais entusiasmado para comprar o último IPhone, mais a última Play Station, mais o último não-sei-o-quê, com isso é que o maralhal anda preocupado, agora com essa e outras notícias do género, nem pense nisso. Não percebeu que estas cabecinhas, que por aí pululam, não passam de cabecinhas de alho-chocho, que não tem préstimo nenhum???
Porque é que pensa que se destruiu a Juventude de Portugal, nomeadamente com a "permissão oficial" de se matarem com drogas, com bebidas e todo o tipo de vícios, aonde é que estão as iniciativas para uma vida sã??? Para além das telenovelas e do futebol, discute-se alguma coisa séria neste país???
Pois claro que não, convém que a carneirada ande entorpecida, brutificada mesmo, repare por exemplo nestas "artes mágicas": a Mtemática colocava-nos na cauda da Europa, éramos os burros-môr cá do Continente (não me refiro à mercearia), logo um qualquer "génio", descobriu a solução: aos do 12º ano, fazemos exames com matéria do 9º, aos do 9º, fazemos com matéria do 6º, e se calhar, na quarta classe, fazemos com a tabuada e assim ficam todos contentes, deste jeito, ao modo do TGV, passamos para a frente do pelotão.
Mas se quiser melhor, olhe que se calhar até se arranja, passamos a tirar os Cursos Superiores por correspondência, sem obrigação de exames, e aí entramos no Céu, seremos um país de "dotôres e inginheiros", mesmo que não saibamos uma letra do tamanho dum comboio.
Meu Caro Eurico, Portugal já se só pode levar a brincar, senão ainda vamos parar ao Júlio de Matos, caso, esse ainda não tenha sido transformado num condomínio fechado de luxo.
Cumprimentos e olhe, não se canse, aproveite a praia, que por enquanto, ainda é de borla.

LUSITANO
P.S.-Já agora diga-me se há por aí algum partido, que se rale com o motivo que aqui o trouxe, se souber, agradeço que me diga, obrigado.

4:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home