terça-feira, novembro 27, 2007

O maneta sai caro


Como é possível que o novo livro de Vasco Pulido Valente, Ir Pró Maneta, fino de cento e poucas páginas, numa edição vulgaríssima, custe 17 euros (15.30 na FNAC e El Corte Inglés)? Há hardcovers ingleses, americanos ou espanhóis ao mesmo preço ou até mais baratos, e com apresentação superior. Num país civilizado e "europeu" a sério, este livro seria editado em formato de bolso e custaria um punhado de euros. Além de se ler pouco e mal em Portugal, a leitura é estupidamente cara.

4 Comentários:

Blogger Flávio Gonçalves said...

Eu tenho-me ficado pelas compras das edições de H.P. Lovecraft e Robert E. Howard da Saída de Emergência.

Mas ser culto em Portugal sai muito caro. Convém à ditadura que o povo se mantenha ignorante...

3:16 da manhã  
Anonymous Cajado Vermelho said...

É tão possível isto (e pior), que até já há editoras nacionais a vender na net «já infaccionado» o mesmo título, por preço superior ao que as distribuidoras o colocam no mercado tradicional(grandes superfícies ou não). O preço varia e flutua conforme a procura online. Isto não há nada como a liberalização dos preços, para encherem os bolsos à nossa conta...
Para o maneta foi também, segundo me disseram há dias, a "limpeza das linhas de Torres".
Apoio também os comentários do Gimbras anónimo e Iachmann, a 25, quanto à "Demolição" do VPV.
E remato já. Barato barato, só na Falcata.

9:17 da manhã  
Blogger a voz said...

este livro é uma “revisão” do trabalho inserido no livro «Tentar Perceber», editado em Janeiro de 1983, entre as páginas 13 e 89, pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda.
Alteração dos nomes dos capítulos, alteração da posição dos mesmos, menos parágrafos e a “novidade” de uma “Conclusão” em duas páginas, desiludem que gostava de ler algo de novo sobre as Invasões Francesas.

10:09 da manhã  
Anonymous rato de livrarias said...

As editoras portuguesas roubam nos preços, essa é que é essa.

1:15 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home