terça-feira, outubro 07, 2008

Raymond Macherot (1924-2008)



Morreu um dos últimos grandes autores da época de ouro da banda desenhada-franco belga, o "pai" de Clorofila e do Coronel Clifton, ambos publicados pelo Tintim português.

7 Comentários:

Anonymous Anónimo said...

Paz à sua alma, lá no paraíso dos que gostam de brindar os seus ratitos domésticos com pedacinhos de queijo sem ratoeiras (era o seu caso, segundo testemunhos fidedignos!)

11:17 da manhã  
Anonymous bedófilo said...

Já não há desenhadores destes, a bd agora é quase só lixo.

12:03 da tarde  
Anonymous Carlos Portugal said...

Nem mais, Caro Bedófilo. Agora é lixo e pior ainda, uma apologia ao horror e à demência, com matizes políticos descarados a veicularem sempre a mesma esquerdalha. A antiga escola franco-belga deixou-nos um legado maravilhoso, formou a imaginação construtiva de milhares de jovens e não só, proporcionando-lhes momentos de lazer e evasão incomparáveis, pese embora a sensação de leveza que se tira das décadas de 50 e 60, quando comparadas com os sombrios dias de hoje (bem piores do que os domingos chuvosos do Clifton).

Macherot, Franquin, Hergé, e tantos outros... Paz às suas almas e um grande Bem-Hajam!

5:38 da tarde  
Anonymous bedófilo said...

Só sobra o Jacques Martin e já quase não desenha, está praticamente cego.

6:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Aqui fica uma bela imagem do Hergé com o Franquin e o Delporte (histórico chefe de redacção do Journal de Spirou) na recepção de boas vindas ao Macherot.

9:06 da tarde  
Anonymous Antracite said...

Estou de luto!

9:55 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Grande Macherot, repouse em paz.

3:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home