segunda-feira, janeiro 28, 2008

Leitura recomendada


Nas livrarias mesmo a tempo para assinalar, no dia 1 de Fevereiro, os 100 anos da tragédia que nos fez perder o século XX. "Era um homem independente, sensato e corajoso, capaz de suportar grandes pressões e de tomar decisões arriscadas quando se impunham. Morreu por causa das suas qualidades, não por causa dos seus defeitos".

6 Comentários:

Blogger Pedro Botelho said...

Discordarei um pouco: não perdemos o século XX por causa da mudança de regime de 1910 ou, ainda menos, do regicídio. Perdemo-lo porque já tínhamos perdido antes os séculos XVI, XVII, XVIII e XIX.

E nem preciso dizer porquê, nem levantar os olhos ao céu...

10:32 da tarde  
Anonymous monárquico e liberal said...

Mas ó Pedro Botelho, ajudou muito a perdermos o século XX. Aquela República para-totalitária, depois o autoritarismo salazarista, depois o 25 de Abril demencial, com a entrega do Ultramar assim sem mais nada...

10:58 da tarde  
Blogger Pedro Botelho said...

De resto não se pode dizer que só perdemos coisas boas e bonitas no século XX. Em boa verdade vos digo que se por um lado o maior pecado da república carbonária foi não termos perdido a participação na Grande Guerra, por outro, a maior virtude da república salazarenta consistiu justamente em nos termos ausentado da sua continuação.

3:52 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Andavam aí os monarquicos a pedir luto nacional em 1 de Fevereiro. Afinal vai mas é ser dia de festa rija e muita musica comemorativa do regicidio, tudo patrocinado pela Camara comunista e revolucionária de Castro Verde.
http://www.inesting.org/cm_castroverde/noticias/detalhe.asp?id=20

6:19 da manhã  
Blogger expressodalinha said...

Depois da política de défice pemanente iniciada pelo perdulário D. João V; da fuga precipitada de João VI e das sequelas do liberalismo; o arrogante Mapa Cor-de-Rosa e a nomeação de João Franco como 1º ministro com poderes absolutos, não me parecem ter sido testemunhos de grandes qualidades por parte de D. Carlos. Se as tinha, seria como pintor ou na oceanografia. Na Casa de Bragança nunca houve grandes estrategas!

12:38 da tarde  
Anonymous real said...

Viva a Monarquia, abaixo a república jacobina!

8:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home