terça-feira, março 04, 2008

Pontapé no centro

Aquele rapaz Rui Marques, responsável pela fantochada do navio para Timor-Leste e irresponsável ex-comissário para a Imigração e Minorias Étnicas, anuncia agora a criação do MEP, ou Movimento Esperança Portugal, que quer ser partido, estar "ao centro do centro político, entre o PS e o PSD", e ser um espaço "de inclusão". De partidos estamos nós todos fartinhos, no pântano do centrão já andamos atolados há muito tempo, e quanto à "inclusão", estamos conversados com o lindo trabalho feito pelo Sr. Marques quando era comissário de imigrantes e minorias. Façam-me um favor e dêem-lhe mas é um pontapé no centro.

7 Comentários:

Anonymous Sila said...

E o lindo trabalho foi uma estúpida lei de imigração que :

i) Apenas permite que se barre a entrada a quem tenha sido condenado a mais de um ano de cadeia com transito em julgado;

ii) Impede a expulsão do país de todos os bandidos e marginais que tenham filhos portugueses ou filhos menores nascidos em Portugal

iii) Permite que acedam ao País toda a espécie de estrangeiros a quem acenem com promessas de contratos feitas por empresas fictícias.

Se a isto juntarmos uma lei da nacionalidade que permite que um estrangeiro em união de facto com uma alterne portuguesa obtenha a cidadania, para além de outros mimos e delikatessen, teremos um cocktail molotov com pernas nos suburbios das grandes cidades.

Recentemente o público deu noticia de alguns asiáticos detidos por suspeita de crime de terrorismo que tinham feito casamentos fictícios em Portugal e filhos aqui nascidos. Pudera! escolheram o País europeu com as leis de imigração e nacionalidade mais estúpidas.

Não se admirem, pois, que nos bairros periféricos portugueses não entre a polícia e que o gangsterismo faça a lei em Sacavém e Loures. Tudo isto nas barbas do retardado mental ex-PC que está na Polícia Judiciária e que diz que as novas formas de violência são um caso pontual.

Todo este contorno deve-se, menos a idiotas úteis sedentos de protagonismo, como o Rui Marques ( que com a Maria José Nogueira Pinto prometem formar um partido que superará a votação do Manel monteiro), e mais a outras luminárias vomitivas do "bloco central" que expeliram a política de imigração e de nacionalidade, como é o caso do Silva Pereira, do António Costa do Feliciano Barrreiras Duarte e do Morais Sarmento.

A estes valerá a pena um dia responsabilizar

2:31 da manhã  
Anonymous Veliberalino said...

Ainda o Movimento não está inteiro e já quer ser partido?!

10:06 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Esse Rui Marques é um tachista do regime e mais nada.

1:19 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olhe que não, olhe que não.
Um centro dinâmico, transversal, onde nem tudo é esquerda ou direita, a vida não é a preto e branco, onde há espaço para debate e construção, onde não se passa a vida a dizer mal de tudo e de todos, só porque nos sentimos incapazes de agir.
E ele disse, Lázaro, sai do sofá e move-te!

4:18 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Aquele rapaz do Algueirão também levava no Lusitânia Expresso alguém que os confrades conhecem ??!

2:01 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Há-de ter muitos votos, esse MEP.

2:29 da manhã  
Blogger Cartouche said...

Ó Vitor, então isso são termos? Tá em mau período ou é benfiquista? O Vitor não deve ter idade para saber o que é viver numa sociedade sem partidos. Ou então sabe e gosta. Ou então...

10:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home