domingo, outubro 28, 2007

A Rosa vermelha

Num trabalho primário e superficial sobre a Lei da Memória Histórica que passou há pedaço no Telejornal da RTP2, a inefável correspondente da RTP em Espanha, Rosa Veloso, não conseguiu referir-se ao período franquista senão como "fascismo", nem dizer o nome de Franco sem o anteceder da palavra "ditador". De um lado da fronteira ou do outro, é a "escola RTP" no seu melhor. Para a mesma senhora, parece ainda que só houve "vítimas" da Guerra Civil de Espanha do lado republicano. E quando toca a ouvir testemunhos de historiadores espanhóis, são sempre de nomes ligados ao PSOE. Pelo menos, nunca vi Pío Moa ou César Vidal no "serviço público" a dizerem de sua justiça. Que Rosa tão vermelha, hombre!

6 Comentários:

Anonymous Patriota said...

É curioso como muitos "jornalistas" e políticos portugueses dedicam a sua vida a vomitar ódio por aqueles que os privaram do "privilégio" de viver numa ditadura comunista, no entanto nunca renunciaram a um estilo de vida capitalista e super-elitista em prol do povo.

2:43 da tarde  
Anonymous my said...

Franco foi um ditador, mas diferente dos déspotas comunistas.

7:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não confundam tirania com ditadura.

9:32 da manhã  
Anonymous blogcrawler said...

Tal como o salazarismo, o franquismo foi um regime autoritário, não houve "ditadura" nem "tirania". A esquerda adora usar estes termos para se fazer muito sofredora, muito oprimida.

2:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Franquismo y salazarismo, regímenes de autoridad y orden público.

3:58 da tarde  
Anonymous teixeira said...

E de segurança. Agora é a bagunça total.

4:12 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home